Área do cliente

Insira seu usuário e senha. Caso não possua, solicite ao Escritório.

Correio eletrônico

Acesse o seu correio eletrônico de forma simples e direta.

Notícias

Juiz determina arquivamento de PAD contra servidor da saúde que estaria acumulando dois cargos

O magistrado verificou que há previsão legal, que não há incompatibilidade de horários e que o profissional atua com eficiência e responsabilidade em ambas ocupações. A Vara Cível e Fazendária de Viana ordenou o arquivamento imediato de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado pelo Estado contra um servidor público que estaria supostamente acumulando dois cargos na área da saúde, de forma ilegal. O juiz entendeu que não há ato ilícito, já que a própria Constituição prevê essa acumulação. “A CF, no art. 37, inciso XIV, excepciona a regra da não‐acumulação remunerada de cargos públicos quando se tratam de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas e com horários compatíveis”, ressaltou o magistrado. No pedido liminar, o autor que é técnico laboratorial, afirmou que já trabalha há dois anos com empenho e total compatibilidade de horários em um hospital estadual, por escala, totalizando 40 horas semanais e, diariamente, em um laboratório do município de Vitória, totalizando 30 horas semanais. Em defesa, o Estado alegou que o somatório de 70 horas nas duas esferas ultrapassa o limite estabelecido pelo Decreto n. 2.724‐R/2021, que é de 65 horas semanais. O juiz, entretanto, levou em consideração depoimentos prestados por testemunhas e superiores hierárquicos, comprovando a dedicação e a eficiência do profissional. “O estado desconsiderou aquela que talvez tenha sido a principal motivação que levou o legislador Constituinte a criar a permissão: a prestação do serviço sem geração de prejuízo à qualidade e eficiência. Existem declarações atestando que ele vem cumprindo pontualmente sua carga horária, sem apresentação de atestados ou cometimento de faltas, além de depoimentos afirmando sua assiduidade, comprometimento, disposição e coleguismo no ambiente de trabalho”. Ainda, segundo o magistrado, em casos semelhantes a esse, em que não há prejuízo às jornadas, nem às atividades exercidas, o STJ, acompanhado pelos tribunais estaduais e federais brasileiros, já possui entendimento predominante de que eventual carga horária máxima, fixada a nível infraconstitucional, pode e deve ser flexibilizada. Vitória, 11 de maio de 2022. Informações à imprensa Assessoria de Imprensa e Comunicação Social do TJES Texto: Tais Valle – Maira Ferreira Assessora de Comunicação do TJES www.tjes.jus.br
11/05/2022 (00:00)

Contate-nos

Rua Álvares Cabral  38  1 andar, sala B
-  Parque Residencial Laranjeiras
 -  Serra / ES
-  CEP: 29165-420
+55 (27) 3318-8880+55 (27) 3099-8880
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.